5 de Fevereiro de 2009

Revisão do filme: "Doubt" ("Dúvida")

O reputado Colégio St. Nicholas recebeu o seu primeiro aluno negro. O carismático e vibrante Padre Flynn (Philip Seymour Hoffman) tem ideias modernas e progressiastas para a Igreja e além disso, aparenta ter uma relação muito próxima do aluno negro. A Irmã Aloysius Beauvier (Meryl Streep) é contra a mudança de postura e de costumes na Igreja, e quando repara na atenção especial dada pelo Padre Flynn ao novo aluno, um conflito de grandes proporções irá se iniciar entre ambos...

Isto, caros leitores, é um filme old school. Não há espaço para fotografias bonitas, para efeitos visuais desnecessários. Existe, desde o momento inicial em que esta obra principia, uma concentração total, no principal cerne dos filmes - os actores. O trabalho do realizador Jonh Patrick Shanley é exemplar, ao nos dar uma realização concentrada nos actores e nas suas interpretações. Nada mais importa. É fascinante ver, que em cerca de 98% do filme, temos um ou mais actores, a ocupar o grande ecrã do cinema em, praticamente, toda a sua extensão e não nos sentimos nem por um segundo, aborrecidos ou entediados com o filme. Sentimo-nos, pelo contrário, fascinados com a monstruosa obra que Shanley nos deu. O sucesso deste filme, recai de novo neste senhor, uma vez que o argumento por si escrito, é tão rico, e repleto de diálogos tão envolventes e inesquecíveis, que é impossível não ficarmos, inquestionavelmente, desejosos por ver a trama desenvolver-se.

O sucesso de uma obra, que parecia ser tão linear e simples, é o elenco que vive ao nível de um argumento tão rico e de uma realização tão envolvente. Mais uma vez, Philip Seymour Hoffman e Meryl Streep, as, igualmente, fabulosas Amy Adams e Viola Davis e até, algumas das crianças, que têm um papel mais visível, estão perfeitas, acreditem. A perfeição é um estado, por vezes momentâneo, e estes actores prolongam esse estado de perfeição durante todo o filme.

Depois de ter ficado fascinado, com o papel de Angelina Jolie, no filme "A Troca". e de ter dito, que a gostaria de a ver levar para casa o Oscar deste ano, retracto-me aqui publicamente. Meryl Streep conseguiu de novo. Que perfeição, que elegância e excelência interpretativa. Esta Senhora é agora, a minha favorita, para levar o Oscar para casa. A autoridade com que interpreta o seu papel, o seu olhar e forma de falar austera, deixam-nos arrepiados e levam-nos a perguntar, se é esta a senhora que dançou, saltou e cantou, que nem uma adolescente, no filme "Mamma Mia!". A sua metamorfose, acompanhada pelo excelente Seymour Hoffman, deixam-nos boquiabertos.
Inicialmente, sentimos a Irmã Aloysius, como uma pessoa austera, muito dura e fria, e o Padre Flynn, como simpático e acolhedor, mas o crescimento do dramatismo do enredo, coloca-nos em dúvida, sobre quem é quem. Aliás, mais uma vez, o argumento e as interpretações são excelentes, uma vez que nunca sabemos quem é inocente ou culpado, nesta guerra de titãs, entre o Padre e a Irmã, já que o filme desenvolve-se segundo a perspectiva de cada um dos actores e não existe qualquer espécie de narrador ou momento no filme, que nos dê mais, que uma visão superficial do conflito, e a visão e argumentos, de cada um dos intevenientes.

É delicioso ver a supra-citada, guerra de Titãs, entre dois dos maiores actores de Hollywood. Mais uma vez, um aplauso, para a dedicação de Seymour Hoffman e Meryl Streep, um exemplo, para todos os actores. O argumento é a chave do sucesso nesta obra, mas se não fosse a forma como os actores exponenciaram todo o potencial das palavras escritas no papel, o impacto do filme não teria nem metado, do que teve.
Amy Adams tem uma actuação para mais tarde recordar. Nunca está inferior aos dois grandes nomes do filme. E Viola Davis consegue transformar a sua minúscula interpretação, enquanto mãe do rapaz negro, em algo inesquecível, tocante e até misterioso. Servindo para aumentar toda a aura de misticismo e dúvida ao enredo...

A crescente tensão dramática do filme é palpável e, exemplar, em nunca nos tirar as dúvidas sobre quem tem a razão. A inteligência do argumento e da realização, nunca nos permite definir uma espécie de vilão no filme. Balançamos entre os pontos de vista e os argumentos, que o filme nos presenteia. As dúvidas nunca desaparecem e o interesse na fita é exponencial à necessidade, que nós, enquanto seres humanos, sentimos em saber, quem é o bom e quem é o mau.

Concluindo, "A Dúvida" é um filme da 'velha guarda'. Repleto de interpretações de luxo e inesquecíveis, percebe-se agora as 5 nomeações aos Oscars. Um argumento rico em diálogos envolventes e uma realização superficial e focada nos actores, faz com que nunca consigamos saber tanto, como queremos. Nunca um filme sobre a Igreja foi tão interessante. A dúvida do título, acompanha o nosso estado de espírito ao londo de todo o filme. E é o sentimento final, que o filme desperta em nós. Um filme a não perder! Altamente recomendado!

O Observador dá a este filme,
18/20

10 comentários:

Fernando Ribeiro disse...

Muita curiosidade para ver este filme. Quem sabe no fim de semana. Primeiro na lista está Slumdog Millionaire. :)

Abraço.

The movie_man disse...

Promete ser um dos grandes filmes deste início de ano. Depois de ver Milk e Slumdog Millionaire, vamos a Dúvida.

Abraços.

Victor Afonso disse...

Estou na "dúvida" se devo ver este filme ou o "Milk"...

Fifeco disse...

Para mim foi uma desilusão. Esperava mais. Creio que lhe falta dinâmica. É aquele filme que resulta muito bem enquanto peça de teatro mas não tão bem enquanto obra cinematográfica. Parece que nunca se desenvolve fazendo uso dos actores para levar a sua avante. Aliás, o contra-ponto mais perfeito deste filme é mesmo Frost Nixon onde Peter Morgan ensinou a Shanley como adaptar uma peça ao grande ecrã.

Mas é só a minha opinião.

Abraço

close-up disse...

infelizmente tenho de concordar aqui com o fifeco..=/

sinceramente tinha a sensação que doubt seria o meu "favorito" do lote actual.a historia era forte e os actores demonstravam o que se esperava deles...talento e mais talento. no entanto, depois de ver...nao consegui evitar alguma desilusao...

esperava mais. mais explosão. mais dinamismo.
talvez algumas ligeiras adaptações no argumento tivessem beneficiado a historia que está muito presa ao seu genero base: a peça teatral. é uma pena pensar o que poderia ter sido...

no entanto ainda um bom filme.

Dan disse...

Olá Fernando! :)

Acho que vais gostar imenso deste filme. Aconselho-te a ires ver. Vale muito a pena! :)

Olá The movie man,

Promete e penso que é, de facto, um dos melhores filmes do ano até agora. :) Mas gostos são gostos.

Olá Victor,

Tanto "Milk", como "Dúvida" são filmes poderosíssimos quanto a interpretações. A história de "Milk" é mais colorida e viva, e este "Doubt" é mais contido, mais subtil. Se puderes vê os dois ehehe :)

Olá Fifeco e Close-up,

Bem numa coisa concordamos. Concordamos em discordar ;)
Fico, incrivelmente, surpreendido, por não terem gostado deste filme.
Penso que a forma como toda a situação é abordada, toda a superficialidade, é a principal qualidade do filme. Ficamos sempre na dúvida, ficamos sempre presos à história. Tenho pena que não tenham gostado tanto como eu. Mas gostos são gostos ou não? :)

Cumprimentos a todos! Obrigado pelos comentários! :)

utopic disse...

O filme é excelente!!

cristinna disse...

Na minha concepção; com certeza é uns do melhores filmes que já vi. Mas vale lembrar também que atriz coadjuvante Violas Davis, interpretou sem sobra de Dúvidas, o seu papel como mãe de filho negro e homosexual,e dando o shows de encenação pra mim ela também foi ótima.

se mais

Jackson disse...

Foi-me tudo menos uma desilução, muito pelo contrário, uma surpresa! Nunca esperava que saísse daqui um dos meus filmes preferidos de sempre! Interpretações magníficas, também.

Abraço

Dan disse...

Olá utopic, cristinna e Jackson,

Partilhamos todas da mesma opinião então. :) Este filme foi uma grande surpresa graças ao excelente trabalho dos actores, que estiveram radiantes em cada um dos seus papéis. Destaque para Meryl Streep e Hoffman que se gladiaram como titãs durante o filme.

O difícil é escolher qual deles teve a melhor interpretação.

Cumprimentos a todos. Voltem sempre! :)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails